Cuidado com as dicas e conselhos de quem nunca conquistou nada na vida
     



POSTs mais antigos:

Novembro de 2019
Outubro de 2019
Agosto de 2019
Junho de 2019
Abril de 2019
Março de 2019
Janeiro de 2019
Dezembro de 2018
Novembro de 2018
Outubro de 2018
Setembro de 2018
Agosto de 2018
Julho de 2018
Junho de 2018
Maio de 2018
Abril de 2018
Março de 2018
Fevereiro de 2018
Janeiro de 2018
Dezembro de 2017
Novembro de 2017
Outubro de 2017
Setembro de 2017
Agosto de 2017
Julho de 2017
Junho de 2017
Maio de 2017
Abril de 2017
Março de 2017
Fevereiro de 2017
Dezembro de 2016
Novembro de 2016
Outubro de 2016
Setembro de 2016
Agosto de 2016
Julho de 2016
Junho de 2016
Maio de 2016
Abril de 2016
Março de 2016
Fevereiro de 2016
Janeiro de 2016
Dezembro de 2015
Novembro de 2015
Outubro de 2015
Setembro de 2015
Agosto de 2015
Julho de 2015
Junho de 2015
Maio de 2015
Abril de 2015
Março de 2015
Fevereiro de 2015
Janeiro de 2015
Dezembro de 2014
Novembro de 2014
Outubro de 2014
Setembro de 2014
Agosto de 2014
Julho de 2014
Junho de 2014
Maio de 2014
Abril de 2014
Março de 2014
Fevereiro de 2014
Janeiro de 2014
Dezembro de 2013
Novembro de 2013
Outubro de 2013
Setembro de 2013
Agosto de 2013
Julho de 2013
Junho de 2013
Maio de 2013
Abril de 2013
Março de 2013
Fevereiro de 2013
Janeiro de 2013
Dezembro de 2012
Novembro de 2012
Outubro de 2012
Setembro de 2012
Agosto de 2012
Julho de 2012
Junho de 2012
Maio de 2012
Março de 2012
Janeiro de 2012
Dezembro de 2011
Novembro de 2011
Outubro de 2011
Setembro de 2011
Agosto de 2011
Junho de 2011
Maio de 2011
Fevereiro de 2011
Agosto de 2009
Julho de 2009
Junho de 2009
Maio de 2009
Abril de 2009
Fevereiro de 2009
Janeiro de 2009
Setembro de 2008
Julho de 2007
Junho de 2007
Maio de 2007
Abril de 2007
Março de 2007
Fevereiro de 2007
Janeiro de 2007
Dezembro de 2006
Novembro de 2006
Outubro de 2006
Setembro de 2006
Agosto de 2006
Julho de 2006



24 de Novembro de 2019

Entrei no Tinder por causa do estagiário.

MAS...

Eu, particularmente, sempre achei que o aplicativo era um grande cardápio de vaginas (desculpem-me o termo chulo), encontros rápidos e pouco construtivos.
Mas depois mudei de idéia. E depois mudei de novo. E mais algumas vezes.
Teclei com gente legal sim, não é tudo perda. Poucas DUAS. As demais ficam pelo caminho.

No começo, você não sabe bem como as coisas funcionam. Apenas o básico mesmo: esquerda NÂO, direita SIM, muito sugestivo, por sinal.
E começa a seguir o padrão de aprovar as gostosas, modelos, na base da futilidade mesmo. Nem entende porque aquela fulana usa a foto de um coelhinho.

Só depois você descobre que as pessoas podem ter mais fotos, que elas podem escrever um perfil e que o SUPERLIKE é um botão especial e você gastou ele apertando sem querer em um perfil que nem viu.

Daí as coisas parecem que ficam mais interessantes. No meio daquele mundão ali, tem muitos sonhos de recomeços, muitas fotos legais e muito texto bacana.
E se pega lendo os textos antes de ver as fotos, só pra ver se eles combinam com a moça.

Se flagra curtindo o perfil da gordinha que você ignorou no primeiro dia, da baixinha com a foto mal tirada, porque elas é que realmente pensam o mesmo que você.
Percebe que as estrelas que você recebeu não são motivo de orgulho, porque a pessoa simplesmente não leu seu perfil inteiro e pergunta pelas coisas que já estavam lá.
Descobre que o TINDER é, na prática, o pior lado do comportamento humano. Aquele que só considera a beleza exterior quando na verdade você acredita exatamente no contrário.
E é quando você quer sair pela primeira vez.

Então, você entende que aprendeu muito mais de você, do que sobre os outros (Quando Paulo fala de Pedro, você sabe mais de Paulo, do que de Pedro).
Descobre de que não gosta das pessoas que malham mais o corpo que a mente e que muitas fotos de academia e um abdomen trincado são quase sempre sinal de decepção.
Que as mulheres que postam a foto da BUNDA são as mesmas que vão reclamar que são tratadas como um pedaço de carne.
Que as mulheres que reclamam pela falta de cavalheirismo, podem te excluir na mesma velocidade com o qual te adicionaram, só por que você demorou um pouco pra responder as perguntas mais triviais.
Futilidade pura.

Daí você apaga as fotos de viagem que o estagiário sugeriu colocar, pra tentar manter longe as interesseiras.
Se pega procurando vida inteligente no lugar errado, com vontade de externar tudo isso e percebe, de novo, mais de você do que dos outros.
Seu CHAT se transforma num divã, com gente perdida demais interessada em palavras inspiradoras.
E é quando você quer sair pela segunda vez.

Descobre que se usar um CHEAT code (aquelas combinações de teclas proibidas nos videogames antigos), pode configurar quase tudo no aplicativo, deixando o modo aleatóriode lado.
E então aquele jogo de casualidade, em troca de um punhado de reais, passa a ser ainda mais direto - o outro lado perverso da humanidade: o dinheiro SEMPRE pode mais.

Você percebe que muita gente (principalmente aquelas beldades do primeiro dia) estão apenas atrás de seguidores para outras mídias.
Que até aqui podem te oferecer aquela proposta de pirâmide que parece irrecusável. Curso de idiomas, mapa astral, promessa de emprego, tudo.
O que parecia a virtualização da paquera, é na verdade mais do mesmo. E você quer sair pela terceira e derradeira vez.

Discuti com o estagiário as fórmulas matemáticas que deveriam ser a base do aplicativo.
Não existe almoço grátis, até na paquera digital.

Descobre que você não precisa estar aqui, porque o jogo do amor continua aquela combinação de sorte e acaso, que é impossível prever.
E que talvez eu não esteja preparado pro passo seguinte.

De todas as lições aprendidas, a que mais me marcou, é a saudade imensa que eu tenho de escrever esses textos de reflexão.
Aquela impressão de que cada dia descubro um pouco mais de mim mesmo.




Exibir todos os POSTs de Novembro de 2019

 




 
Marcelo Martins de Albuquerque - ©1997-2019 Todos os direitos Reservados